Usina de Baguari entra na mira dos vereadores de Valadares

0
448

Quatorze dias após o rompimento da barragem da mineradora da Vale no município de Brumadinho (MG), o qual levou à morte de mais de 150 pessoas e a 182 desaparecidos até o momento, o sinal de alerta fica aceso para as demais barragens no estado de Minas Gerais. A tragédia em Brumadinho foi pauta das primeiras reuniões ordinárias na Câmara Municipal de Governador Valadares. Parlamentares cobraram informações sobre medidas de plano emergencial na barragem da Usina Hidrelétrica de Baguari, no rio Doce, no distrito de Baguari, para que não aconteçam as mesmas fatalidades ocorridas nos municípios de Mariana e Brumadinho.

Os vereadores Iracy de Matos (Solidariedade) e Dandan Cesário (PHS) cobraram informações sobre medidas de plano emergencial na barragem da Usina Hidrelétrica de Baguari

A vereadora Iracy de Matos (Solidariedade) enviou ofício ao gerente-geral do consórcio que administra a Usina Hidrelétrica de Baguari pedindo informações sobre as medidas rotineiras adotadas na prevenção de rompimento da barragem. A vereadora solicitou a publicação do plano de segurança da Barragem UHE Baguari, o manual de inspeção rotineira e o relatório de análise de risco, os relatórios das últimas inspeções da segurança realizadas na Usina e o plano de ação de emergência.

O Ofício nº 014/2019 foi encaminhado na tarde desta quarta-feira (6) pela vereadora, que também já havia solicitado as mesmas informações no início do ano de 2016. “Precisamos criar a cultura de fiscalizar os  empreendimentos com grande potencial de impacto. Essas informações precisam ser divulgadas, pois amenizam as preocupações da população”, disse a vereadora.

Já o vereador Dandan Cesário (PHS) protocolou um requerimento solicitando a formação de uma comissão especial na Câmara para uma visita à Usina de Baguari com o propósito de verificar se existe plano de ação emergencial e se as vistorias preventivas estão em dia. “As barragens hidrelétricas nos dão mais tranquilidade, por possuírem estruturas em concreto e aço, diferentemente das barragens de minérios, que são formadas com seus próprios rejeitos, trazendo insegurança. Mesmo assim, não estamos seguros depois de tudo o que aconteceu. Os acontecimentos de Mariana e Brumadinho nos fazem ficar em alerta”, argumentou o vereador.

De acordo com informações do Consórcio UEH Baguari, responsável pelo monitoramento da Usina Hidrelétrica de Baguari, a construção foi feita em 2009 no leito do rio Doce, próximo ao distrito de Baguari, a 19 quilômetros de Governador Valadares. A usina possui capacidade de geração de 140MW, energia suficiente para abastecer uma cidade de aproximadamente 450 mil habitantes. A usina abastece as cidades de Periquito, Alpercata, Fernandes Tourinho, Sobrália e Iapu.

A equipe de reportagem do DIÁRIO DO RIO DOCE entrou em contato com a Coordenação Ambiental do Consórcio UEH Baguari para ouvir seu posicionamento sobre o assunto, mas não houve retorno. Desde já, deixamos aqui o espaço para posicionamento.

Fiscalização ‘imediata’

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na terça-feira (5) a criação de uma “força-tarefa” para inspecionar, a partir da próxima semana, as barragens de 142 usinas hidrelétricas. De acordo com a Aneel, equipes próprias da agência fiscalizarão as barragens de 71 usinas com “maior dano potencial”. As outras 71, informou o órgão, serão fiscalizadas pelas agências estaduais conveniadas. Em nota, a Aneel informou que a fiscalização seguirá dois critérios: dano potencial alto e risco. A UHE de Baguari não aparece na lista de inspeção.

por Eduardo Lima | eduardolima.drd@gmail.com

Vereadores cobraram informações sobre medidas de plano emergencial na barragem da Usina Hidrelétrica de Baguari.Foto: Divulgação