“Um melhor aproveitamento do tempo também auxilia na organização de nossas vidas”

0
71

A insatisfação generalizada pode ser resultado da falta de equilíbrio entre a vida particular e o trabalho, o lazer, os amigos, o amor, os relacionamentos, etc, que decorre, em boa parte das vezes, da falta de organização, um mal gerado por uma espécie de inabilidade de lidar com o “tempo”. Não se pode aumentar o tempo, assim é preciso reencontrá-lo e redistribuí-lo. É possível tornar-se mais eficiente naquilo que fazemos, eliminando-se ações redundantes, e talvez nos tornarmos mais felizes com isso. Assim sendo, vejamos algumas sugestões de como organizar melhor sua vida, sua rotina, seu dia a dia e, assim, conquistar mais tempo (e prazer) para si.

a)  Estabelecendo objetivos reais, principalmente, em curto prazo. 

Estabeleça objetivos procurando ser bastante específico com relação ao que deseja; fixe prazos, desenvolva planos de ação e sempre verifique seu progresso. Se você não estiver progredindo em direção às metas estabelecidas, então, algo está saindo errado, daí, os objetivos devem ser reexaminados e adaptados na medida do possível. Faça um exame de consciência para saber se está guiando sua vida pelos seus objetivos, ou simplesmente, deixando as coisas acontecerem. Você está satisfeito com os resultados alcançados até o momento? O que tem feito de concreto para alcançar? “Nada cai do céu”!

b) Não viva só para atingir seus objetivos futuros. Viva o presente e no presente.

Você já conheceu alguém que se preparou a vida toda para viver o futuro? É aquele tipo de pessoa que economiza cada centavo para a eventualidade de precisar ter uma reserva numa emergência. Pessoas assim geralmente vão para o trabalho mesmo quando estão doentes porque preferem “guardar” suas faltas justificadas ou dias de folga para quando “precisarem”. Muitas estabelecem objetivos que parecem inatingíveis, e, com isso, esquecem-se do presente e voltam-se para o futuro, um futuro imaginário. Preparação, prevenção e planejamento são admiráveis, a menos que ofusquem o presente. “Nada deve ser mais apreciado do que o valor de cada dia”. Se plantamos o futuro no presente colheremos nada, pois o futuro ainda não existe. Faça no dia de hoje o máximo dentro do seu possível, evitando deixar para amanhã o que pode fazer hoje, evitando ao máximo expectativas nos outros e nos acontecimentos, os quais independem de você.

c) Planeje (evitando fazer expectativas no que não depende de você).

Fazer um bom planejamento é importante, seja para escrever um livro, dirigir negócios, organizar um curso ou até mesmo viajar. Algumas pessoas resistem à ideia de planejamento, pois acreditam que isso tira a espontaneidade do que fazem. Outros também rejeitam a ideia porque dizem que planejar leva muito tempo. Mas a experiência mostra justamente o oposto. Se considerarmos os atrasos e o tempo ocioso que a falta de planejamento pode trazer, concluímos que desperdiçamos mais tempo do que estávamos dispostos a gastar. O planejamento para um projeto pode e deve ser bastante simples e concreto. É possível planejar-se para um mês, um ano ou mesmo por um dia. Ao planejar em longo prazo, avalie qual o tipo de treinamento será necessário para atingir suas metas. Pense em como vai obter os recursos necessários, se vai precisar de algum tipo de financiamento, o que será exigido em termos de habilidades e experiências e como obtê-las. No curto prazo, planeje-se para eventos rotineiros, assim como para acontecimentos contrários aos planejados.

Reveja, programe suas ações de modo realístico, dentro do tempo disponível. Preveja contratempos e obstáculos no caminho e planeje o que irá fazer para alterar o curso das coisas, tendo sempre alternativas.

d) Organize suas coisas para poder encontrá-las.

Você gasta preciosos minutos procurando suas coisas pela casa ou escritório? Você compra algo que já possui, só por que não consegue encontrar? Numa emergência, alguém de sua família conseguiria encontrar a documentação necessária para manter suas finanças ou escritório em ordem sem você?

O acúmulo de papéis dispersa as pessoas. Comumente ouve-se: “Sei que está aqui, em algum lugar” ou “desorganização é sinal de mente criativa”, e também: “veja como estou ocupado (a) e quanto tenho para fazer”.

Se pilhas de papel não o incomodam ou as pessoas que trabalham com você, esqueça o princípio da organização. Contudo, se admitir que a desorganização está causando estresse mental e devorando seu precioso tempo, que poderia ser gasto com a família, por exemplo, então organizar passa a ser importante. Quando papéis acumularem-se em sua mesa, há cinco coisas a fazer: 1) descartar; 2) fazer; 3) delegar; 4) colocar temporariamente num arquivo de pendências; e 5) arquivar definitivamente.

Que tal começar a se organizar mais para aproveitar melhor o seu tempo? Deixe um espaço livre em seu dia e em sua mesa para trabalhar em cada projeto. A regra básica para ser organizado é ter um lugar para cada coisa. Um sistema ou espaço organizado é mais fácil de manter do que de organizar. Lembre-se: “Tempo bem organizado é a marca de uma mente bem organizada”.

e) Tire 1 hora de “férias” por dia.

Fazer alguma atividade prazerosa pelo menos 1h por dia repõe suas energias, reabastecendo suas forças e lhe auxiliando para manter um bom humor. O exercício físico é um bom exemplo pois produz endorfinas, substância capaz de anular as adrenalinas do dia a dia trazendo melhor bem-estar físico e mental. É lógico que antes é necessária orientação médica para o exercício mais indicado de pessoa para pessoa. Outros exemplos são: ioga, massagem, relaxamento, leituras (de auto-ajuda), ou seja, o que possa trazer prazer, e isto tem variação de pessoa para pessoa.

Enfim, lembre-se que o dia tem 24 horas e fazendo mesmo as contas, com: 8h de sono, 10h (ideal 8h) de trabalho, 1 hora refeições, 1 hora transporte, 1h banho e banheiro, 1 hora tv, 1h família, por exemplo, ainda falta 1h para as 24h do dia. Deste modo, com a organização e o agendamento, poderemos melhorar nosso aproveitamento, diminuindo o estresse e aumentando a qualidade de nossas vidas.

Sérgio Luiz Fonseca Dias