Preço da passagem já começa a ser discutido

0
207
O preço das passagens dos ônibus da Valadarense sempre foi questionado pelos usuários por causa dos trajetos pequenos que a maioria das linhas fazem. FOTO: Divulgação

Com 2019 se aproximando, o preço da tarifa do transporte público coletivo de Governador Valadares começa a ser debatido e deve ser anunciado um reajuste a qualquer momento. Como é de costume, todos os anos, a Empresa Valadarense de Transportes Coletivos encaminha à Prefeitura Municipal uma planilha contendo os novos valores para o reajuste anual da tarifa de transporte público. O assunto já foi abordado em reunião no Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT), no dia 21 deste mês. Dois valores foram repassados: R$ 4,30, conforme propõe o Conselho Municipal de Transporte e Trânsito, e R$ 4,62, valor proposto pela própria Valadarense. O preço atual da tarifa é de R$ 3,90. A empresa aguarda a concessão do aumento através de um decreto do Governo Municipal.

A reunião para debater o reajuste da tarifa de ônibus foi convocada pela presidente do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT), Maria de Fátima Salgado Rodrigues, que também é secretária-adjunta de governo, nas dependências da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (SEMOSU). No ofício que convoca representantes do poder público e da sociedade civil, consta que a pauta é sobre os custos do transporte público coletivo. É a partir desse levantamento que foi definido o percentual para reajustar a tarifa no valor de R$ 4,62.

O último reajuste na tarifa de ônibus foi anunciado pela Prefeitura de Valadares no início de 2018. A passagem, que antes custava R$ 3,60, passou a valer R$ 3,75 para pagamentos com cartão eletrônico e R$ 3,90 para os realizados em dinheiro. Após o anúncio, a Prefeitura tinha exigido da Valadarense mais pontos de vendas de recargas e, até 2019, a atual frota deveria ter ar-condicionado implantado, pelo menos, em 10% dos veículos que a compõem. No entanto, os ônibus ainda continuam sem ar-condicionado. Lembrando que o contrato firmado em dezembro de 2012 com a Empresa Valadarense tem vigência até 2032. O mesmo contrato que, em sua cláusula 29, prevê que seja realizado um reajuste todos os anos no preço da tarifa.

Preço abusivo

O vereador Coronel Wagner (PMN) participou da reunião feita pelo Conselho e disse ao DRD que a proposta da Empresa Valadarense é abusiva ao reajustar o valor em 18%, passando a tarifa para R$ 4,62. O Conselho, no entanto, após analisar a planilha de custos da concessionária, estabeleceu um índice de 9%, que pode elevar a passagem para R$ 4,30. “Sou contra esse aumento. Os mais necessitados que usam o transporte todos os dias serão os mais prejudicados. Foi apresentada uma planilha confusa para quem participou da reunião, com números e valores que fogem da realidade do município”, argumentou o vereador. O parlamentar também defendeu a manutenção do atual valor e disse que o futuro do reajuste está nas mãos do prefeito André Merlo (PSDB). “Defendemos a manutenção do valor da passagem e também a melhora da qualidade do serviço do transporte público de Valadares. Isso não é nenhum favor, pois o serviço de transporte é uma concessão do município para com a empresa. Na minha opinião, o prefeito deveria indeferir esses valores através de decreto. Ele tem esse poder. Um exemplo é o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), que não deixou fazer reajuste na tarifa dos ônibus que circulam por Belo Horizonte no ano passado. Segundo ele, a mudança na tarifa só acontecerá após auditoria no sistema de transporte público”, lembra.

O que dizem os usuários do transporte público

Pedro Antônio, aposentado “Não concordo com o preço da passagem. Ele é abusivo com o cidadão. A pessoa anda pouco na cidade e ainda tem que pagar esse absurdo de passagem, principalmente, depois de tudo que aconteceu envolvendo o nome dessa empresa”.
Josimar Oliveira, pedreiro “Moro em Vila Velha (ES) e cheguei assustado com o preço da passagem nesta cidade. Tem cinco cidades no Espírito Santo que o valor não passa dos R$ 3,40. Lá você anda muito e paga pelo preço correto. Cheguei aqui e paguei para ir no bairro vizinho do meu amigo e paguei R$ 3,90”.
Wilsimar dos Santos, aposentado “Não tenho o que reclamar. Por minha parte sempre fui bem atendido pela Valadarense, os cobradores e motoristas foram sempre educados comigo. Só acho que precisava colocar ar condicionado, mas o resto está tudo bem”.
Gabriel Rocha, estudante “Já morei em São Paulo e lá é melhor do que aqui. Deveria ter uma
empresa concorrente para acabar com esse abuso no preço da passagem. Eu prefiro andar de bicicleta do que andar nesse ônibus horrível”.
Rosilene da Silva, doméstica “Venho do Grã-Duquesa ao Centro a pé. Assim é melhor que não gasto muito. O preço da nossa tarifa de ônibus foge da realidade de Valadares. Uma cidade sem emprego e sem indústrias. Deveriam olhar isso antes de reajustar o valor”.

A equipe de reportagem do DIÁRIO DO RIO DOCE entrou em contato com a Empresa Valadarense, que disse que irá se pronunciar sobre o reajuste nos próximos dias.

por Eduardo Lima |eduardolima.drd@gmail.com