DICAS DE PORTUGUÊS

0
115

Continuo hoje a apresentar o uso de algumas palavras que podem confundir redatores de textos, cartas, redações. Iremos até a dica 100.

59 Horas extra/ horas extras

  • Erro: Você deverá fazer horas extra para terminar o relatório.
  • Forma correta: Você deverá fazer horas extras para terminar o relatório.
  • Explicação: Neste caso, extra é um adjetivo e, portanto, é variável. Concorda, pois, com o substantivo horas.

60 Houveram/houve

  • Erro: Houveram rumores sobre um anúncio de demissão em massa.
  • Forma correta: Houve rumores sobre um anúncio de demissão em massa.
  • Explicação: Haver no sentido de existir não é usado no plural.

61 Implicará em/implicará

  • Erro: A sua atitude implicará em demissão por justa causa.
  • Forma correta: A sua atitude implicará demissão por justa causa.
  • Explicação: O verbo implicar, quando é transitivo direto, significa “dar a entender”, “pressupor” ou “trazer como consequência”, “acarretar”, “provocar”. E se a transitividade é direta, isso quer dizer que não pede preposição.

62 Independente/ independentemente

  • Erro: Independente da proposta, minha resposta é não.
  • Forma correta: Independentemente da proposta, minha resposta é não.
  • Explicação: Independente é adjetivo e independentemente é advérbio. O enunciado acima pede o advérbio.

63 Insisto que/ insisto em que

  • Erro: Insisto que é preciso cortar custos na cadeia produtiva.
  • Forma correta: Insisto em que é preciso cortar custos na cadeia produtiva.
  • Explicação: O verbo insistir é transito indireto. Quando objeto for uma coisa, usa-se a preposição em e a preposição com aparece quando há referência a uma pessoa. Exemplo: Insisto nisso com o diretor.

64 Junto a/ no/ ao

  • Erro: Solicite junto ao departamento de recursos humanos o informe de rendimentos para a Receita Federal.
  • Forma correta: Solicite ao departamento de recursos humanos o informe de rendimentos para a Receita Federal.
  • Explicação: As locuções “junto a, junto de” são sinônimas e significam “perto de”, “ao lado de”. Não cabem na frase acima. Para você lembrar, não desconte cheques junto ao banco e sim com o banco. Não renegocie uma dívida junto aos credores e sim com os credores. Evite empregar a expressão “junto a” em lugar de com, de, em e para. Assim, em lugar de “conseguimos apoio junto à equipe” escreva “conseguimos apoio da equipe”.

65 Maiores informações/ mais informações

  • Erro: Caso precise de maiores informações, entre em contato conosco.
  • Forma correta: Caso precise de mais informações, entre em contato conosco.
  • Explicação: O termo “maior” é comparativo, não deve ser utilizado nesse caso. Não há uma informação maior que outra. Use: mais informações, outras informações…

66 Mal/ mau

  • Erro: Era um mal funcionário e foi demitido.
  • Forma correta: Era um mau funcionário e foi demitido.
  • Explicação: Mau e bom são adjetivos, ou seja, conferem qualidade aos substantivos, palavras que nomeiam seres e coisas. Exemplos: “Ele é bom médico” e “Ele é mau aluno”. Por outro lado, mal e bem podem exercer três funções distintas. Exercem a função de advérbios, modificam o estado do verbo. Por exemplo: “Seu filho se comportou mal na escola” e “Ele foi bem aceito no novo trabalho”. Como conjunção, servindo para conectar orações, como em “Mal chegou e já se foi”. Essas palavras também têm a função de substantivos, por exemplo: “Você é o meu bem” e “O mal dele é não saber ouvir”.

Guarde o seguinte: mal é o contrário de bem / bom é o contrário de mau.

 Ilvece Cunha | Professor de Português                                                       ilvececunha@hotmail.com