A bananicultura em Minas Gerais

0
36
FOTO: Divulgação

A banana é uma fruta muito apetitosa, com aroma e consistência próprias, de grande valor nutritivo, consumida em grandes quantidades no Brasil, na região tropical e nos países do mundo de alta renda “per capita”. Minas Gerais produziu 815 mil toneladas de banana em uma área plantada de 46 mil ha, sendo o terceiro maior produtor nacional. O estado apresentou produtividade de 17,7 mil kg/ ha, que foi 21% superior à produtividade nacional (14,6 mil/ha). As principais variedades cultivadas no estado são as do grupo prata e do grupo nanica. Outras variedades cultivadas em menor extensão compreendem: marmelo (figo), terra, maçã e ouro. Os principais municípios produtores são: Jaíba, Nova Porteirinha, Delfinópolis, Janaúba e Uberlândia, respondendo por 33,2% da produção estadual. Entre os cinco maiores produtores, aqueles do Norte de Minas se destacam, com 29,9% da produção estadual, beneficiados pelo sistema de produção irrigada. Ressalta-se que o município de Delfinópolis iniciou a produção da bananicultura comercial em 1993. Os produtores, em busca de alternativa à cafeicultura, transformaram o município em um dos maiores produtores de banana do estado, com uma atividade moderna e em franca expansão.

Diversos fatores e variáveis concorrem para o crescimento da atividade no estado, a saber: o aumento da demanda devido ao crescimento da população e maior consumo per capita; a existência de áreas com clima, solos e relevos adequados; a posição estratégica do estado, próximo aos grandes centros consumidores; a diversificação e organização da cadeia produtiva; a pesquisa aplicada nas regiões produtoras e os perímetros de irrigação. No último decênio, observou-se uma tendência de crescimento na produção e nos preços. No que tange aos preços, houve uma melhoria nos últimos anos e credita-se este fato à redução da produção dos estados da Bahia e de São Paulo, devido aos problemas climáticos.

Seguindo a tendência dos anos recentes, a produção de banana deve evoluir, nos próximos dez anos, a uma taxa de crescimento anual de 1,8%, projetando uma produção de 976 mil toneladas em uma área de 63 mil ha e produtividade de 15,5 mil kg/ha para 2027. Essa estimativa de aumento da produção pode ser retraída, em decorrência do desempenho econômico do país, da disponibilidade de incentivos para o desenvolvimento da fruticultura, da crise hídrica e da falta de investimento em infraestrutura de transporte e armazenamento. A possível entrada de doenças ainda inexistentes no país, a exemplo da Raça 4 Tropical de Fusarium oxysporum cubense, também ameaça o aumento da produção.

Algumas tentativas de ampliar o mercado externo estão sendo feitas, porém, existem alguns fatores restritivos, tais como a logística e a preferência pelas variedades do grupo Cavendish, menos produzidas em Minas Gerais. No entanto, inúmeros esforços vêm ocorrendo para conquistar o mercado externo com a banana prata. Os empresários têm participado de feiras em diversos países da Europa para apresentar essa iguaria aos europeus. Assim, estratégias estão sendo traçadas para que esta fruta seja entregue em todo o continente europeu. A conquista desse mercado poderá resultar na inserção dessa fruta na pauta da balança comercial mineira e, consequentemente, criar uma nova opção de mercado para os produtores mineiros. O município de Governador Valadares possui áreas com solo e clima propícios para o cultivo da banana e outras frutas tropicais. O investimento na bananicultura usando irrigação, boas práticas agronômicas e sistemas adequados de colheita e pós-colheita torna-se uma boa opção para diversificar a produção agropecuária nas propriedades rurais do município e da região.

Marcelo de Aquino Brito Lima | Secretário Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento de Governador Valadares.